O início de um triângulo amoroso (real)



Eu tinha dezoito anos, quando o que eu narro, abaixo, aconteceu. Namorava com o Mar, naquela época.

Hoje, com mais de cinquenta anos, encontrei com o Mar pelo Facebook e temos trocado mensagens, desde então. Estou casada há trinta anos, com um homem que é um marido maravilhoso e um pai simplesmente fantástico para minhas filhas.

O Mar, casado com a Sol, foi meu primeiro namorado sério e aquele com quem perdi minha virgindade. Tudo o que está neste texto eu contei a ele, naquela época, quando tudo aconteceu. Ele tinha dezoito anos e vivemos um triângulo amoroso por algum tempo.

Eu e a Mariângela, a segunda protagonista, neste texto, ainda somos amigas. Ela também está casada e tem filhos, mas seu casamento não é um mar de rosas. Eu e ela ainda nos amamos, embora há anos não tenhamos mais o tipo de relacionamento que eu descrevo aqui. Falta de oportunidade e medo de sermos descobertas, talvez, façam com que somente troquemos selinhos ao nos encontrarmos, isso se estivermos sozinhas.

De vez em quando, ao constatarmos que não há possibilidade de sermos ouvidas por ninguém, ainda lembramos daqueles tempos e nos excitamos com tudo.

Espero que vocês também se excitem agora.

Boa leitura a todos!

Aí eu acordei e vi, ao meu lado, a Mariângela deitada de bruços. A camiseta dela tinha levantado até a cintura e a bunda dela estava totalmente à mostra. Não resisti e comecei a acariciar aquela bunda bonita e redondinha. Passava a mão com cuidado, evitando que ela acordasse e me flagrasse naquela verdadeira adoração. Éramos amigas desde os cinco anos de idade. Eu tinha medo de perder aquela amizade.

Em determinado momento ela abriu um pouco as pernas, permitindo-me ver a sua bucetinha. Já tínhamos tomado banho juntas um milhão de vezes, mas eu nunca tinha tido a oportunidade de olhar aquilo com o cuidado e a atenção que agora a vida tinha me oferecido. Eu olhava e sentia minha própria bucetinha totalmente molhada. Percebi que ela também estava molhada e aproximei meu rosto para sentir o cheiro. Ao respirar aquilo meu coração pulsava forte e eu me senti ainda mais apaixonada pela minha amiga.

- Mexe de novo aí! - Assustei-me ao ouvir a Mariângela dizer baixinho; era quase um gemido.

- O que? - Perguntei eu, sem saber o que dizer e assustada por ter sido flagrada.

- Na minha bundinha, Isis. Mexe de novo.

Ainda trêmula pelo susto, pela paixão e pela emoção, aproximei minha mão daquela bunda maravilhosa da mulher que - eu tinha certeza, agora - eu amava tanto quanto amava meu namorado. Era estranho aquele sentimento. Um desejo louco, sem dúvida; mas o medo e a emoção…

- Mexe! - A Mari ordenou ao perceber que minha mão tinha pousado ali mas estava inerte; parada, apesar do tremor.

- Mexe, Isis. Tava gostoso. - Era uma súplica. A voz dela estava baixa, meio rouca.

- Não fique brava comigo, Má. Desculpe! Eu… - parei sem saber exatamente o que deveria dizer.

- Não fala nada, não. Mexe em mim. Tava uma delícia. Nunca mexeu em mim assim. Mexe!

Comecei a acariciá-la. Depois de uns dois minutos fazendo carícias ali, minha amiga disse, enquanto abria mais as pernas:

- Mexe lá? - Era uma súplica.

Afastei minha mão rapidamente. Eu sempre batia punhetinha, mas jamais tinha feito aquilo em outra mulher. Eu queria fazer, mas não sabia como…

- Mexe, Isis! Por favor. - Ela abriu ainda mais as pernas e eu não resisti. Entreguei-me às súplicas expressas por minha melhor amiga - a menina que eu amava, como tinha acabado de descobrir - e do meu próprio corpo, que clamava por aquele contato.

Deitei-me ao lado dela e fiz minha mão escorregar, da bunda para a bucetinha maravilhosa dela. Éramos adolescentes, ainda; não nos depilávamos e percebi que minha amiga era mais peludinha do que eu, ali. Sentia a umidade viscosa em meus dedos e procurei seu clitóris.

- Vou fazer como eu faço em mim. - Eu disse com a voz trêmula e parecendo fraca. Eu tremia toda por dentro. - Você faz isso, em você mesma?

- Às vezes. - Ao falar isso ela ia emitir um gemido, o que fez com que sua voz saísse estranha e em falsete. Aquilo fez com que eu sentisse ainda mais amor por ela.

Meu dedo deixou o clitóris e fui me aventurar na sua rachinha. Entrei com dois dedos, logo de cara. Ela gemeu mais alto e eu me assustei, tirando os dedos dali.

- Não tira! - Ela pediu.

- Doeu? - Eu estava realmente preocupada.

- Não! Põe de novo, por favor.

Ela virou o corpo e olhei apaixonada para os pelos pubianos que eu tantas vezes vira e há muito desejava tocar. Fiz uma carícia apaixonada naqueles pelos e escorreguei, de novo, com meus dedos para a rachinha da minha amada. Ela agarrou meu braço e fechou as pernas, prendendo-me lá dentro.

Pela primeira vez nos encaramos como amantes. Meus sentimentos venceram todas as resistências que minha educação tradicional poderia impor. Fui em direção a ela e dei-lhe o beijo mais terno que eu poderia. Estava amando aquela menina, embora minha educação e minha história de vida me obrigassem a rejeitar aquele sentimento e tudo o que estávamos fazendo. Mas era mais forte que eu.

Peguei a mão da Mari e a direcionei à minha própria bucetinha. Ela foi enfiando os dedos lá dentro e eu resolvi ensinar a ela:

- Espera um pouquinho, Má. - Dirigi os dedos dela ao meu clitóris e mostrei a ela, mexendo na bucetinha dela, a diferença entre tocar na racha e no clitóris. Ela percebeu e apertou meu braço com um gemido.

- Nossa! - ela falou. - Que gostoso! Mas você mexendo lá dentro também é uma delícia.

Ela conhecia todos os meus segredos. Desde as primeiras carícias mais ousadas que troquei como Mar, eu contava tudo a ela, descrevendo detalhadamente minhas emoções e sensações. Eu percebia que ela se excitava profundamente quando eu contava tudo a ela, e aquilo fazia com que eu caprichasse ainda mais nas descrições e nos detalhes.

Minha amiga namorava com um cara dez anos mais velho, em um relacionamento arrumado pelo pai dela. Os pais dela eram italianos e muito conservadores. Não a deixavam ficar sozinha com o namorado e o casamento dela já estava marcado para quando ela completasse dezoito anos.

Ela nunca tinha tido qualquer relacionamento sexual com um homem. Com homem nenhum, mesmo.

Eu, por outro lado, namorava com o Mar que era um cara muito diferente, já naquela época. Meus pais gostavam e confiavam demais nele. Ele tinha muita autoconfiança e se comportava com desenvoltura em todas as situações. Já trabalhava, fazia faculdade na USP e todos os que o conheciam gostavam dele.

Tudo isso fazia com que eu tivesse mais liberdade e já tivesse diversas experiências mais ousadas com meu namorado, o que causava profunda inveja na minha melhor amiga. Eu já tinha entregue minha virgindade para o Mar e minha amiga ficara louca com aquilo. Quando comecei a contar minhas aventuras com o Mar para ela, ela ficou excitada e queria saber de tudo. Ela parecia nunca cansar de perguntar sobre minhas experiências e ficava louca de tesão com tudo o que eu falava.

Eu me excitava ao vê-la tão excitada com o que eu contava. E me excitava ao contar para o Mar, com todos os detalhes, minhas conversas com a Mari. Ele ficava excitado e aquilo rendia muito prazer a todos.

- Como é que o Mar faz aquilo com você?

- Aquilo, o que? - perguntei com a impressão de que sabia a que ela se reveria.

- Aquilo… Quando ele te beija lá…

- Ah! Quando ele me dá um beijo de língua, lá?

- Fala!

- Não é melhor eu mostrar? - Perguntei encarando-a e recebendo em resposta apenas um olhar de súplica.

Afastei um pouco o corpo para poder me ajeitar e ir com minha boca em direção à bucetinha dela. Comecei a lambê-la e me preocupei, embora estivéssemos sozinhas, na casa dela, com os gemidos altos que ela começou a emitir.

Minha língua percorria toda a extensão da rachinha dela e, depois, eu consumia alguns prolongados segundos em seu clitóris, sem me esquecer de respirar quente e profundamente naquele melado todo, o que fazia com que ela tivesse pequenas convulsões trêmulas.

- Que delícia! - Ela disse. - Não para! Faz mais…

Ela segurava minha cabeça e o espaço entre as convulsões e tremores começou a diminuir. Concentrei mais minha língua no clitóris dela, enquanto enfiava dois dedos na bucetinha dela.

De repente ela começou a se mover descoordenadamente, tremia, gemia e falava coisas desconexas enquanto empurrava minha cabeça contra a sua bucetinha, e fechava as coxas, prendendo-me ali e quase me sufocando.

- Ai! Ai! Ai! Que loucura! Para porque eu vou morrer! Para!

Ela experimentou o primeiro orgasmo da vida dela e lembra disso até hoje, quando estamos conversando sozinhas, dentro do carro, a caminho de algum shopping ou restaurante, nos inúmeros encontros que temos, todas as semanas.

Eu sinto saudades dos tesões que nos proporcionávamos naquela época. E sinto saudades do que fazíamos com o Mar e que conto em outra oportunidade.

                                

Foto 1 do Conto erotico: O início de um triângulo amoroso (real)


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario valentina_c

valentina_c Comentou em 03/01/2015

Meus parabéns pelo modo de escreve! O jeiti que conta os detalhes, me deixa excitada. Haha. Continue escrevendo. Tem meu voto. Beijos.

foto perfil usuario

Comentou em 17/10/2014

Maravilhoso o relato ,adorei , adoro qdo duas mulheres transam . Tem meu voto.

foto perfil usuario anninhamaria

anninhamaria Comentou em 14/10/2014

Que lindo! Amei!

foto perfil usuario paulojk

paulojk Comentou em 18/04/2014

Parabens otimo conto excitante mesmo . Votado

foto perfil usuario sombralink

sombralink Comentou em 01/11/2013

Sem comentários!

foto perfil usuario reginha.larga

reginha.larga Comentou em 06/08/2013

Excelente!

foto perfil usuario novinha20121995

novinha20121995 Comentou em 27/07/2013

Adorei esse conto...Já tem meu voto

foto perfil usuario terranova

terranova Comentou em 21/07/2013

Um belo conto erótico,...fica os parabéns ...

foto perfil usuario

Comentou em 21/07/2013

Querida, o Mar, é sem nenhuma dúvida um dos melhores autores deste site, em todos os gêneros, e vc, talvez pela convivência, adquiriu os dons de nos envolver nesse relato super excitante! Claro que vale muitos votos!

foto perfil usuario

Comentou em 21/07/2013

Delicia de conto, parabéns, votei por merecer




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


8353 - Minha mulher gosta de grossura! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 39
8445 - O primeiro chifre testemunhado (verídico) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 28
8555 - Chifrei o Mar com um casal (verídico) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 17
8568 - Dez anos de chifres (verídico) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
8623 - Traindo meu marido por dinheiro. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 22
8928 - Minha mulher e o Ju - Categoria: Traição/Corno - Votos: 40
10053 - Amo mais minha mulher que me trai - 01 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 14
10094 - Amo mais minha mulher que me trai - 2 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 16
10137 - Camila - 1 - Traí meu marido com ele mesmo - Categoria: Traição/Corno - Votos: 11
10786 - Val. A mulher da minha vida não é só minha - 1 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 13
10791 - Val. A mulher da minha vida não é só minha - 2 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 12
10816 - Eu não imaginava que minha mulher… - Categoria: Traição/Corno - Votos: 25
10840 - Val. A mulher da minha vida não é só minha. - 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 13
10909 - Foi você quem disse que queria ser corno… - 1º - Categoria: Traição/Corno - Votos: 23
15583 - Quantos machos ja comeram a sua mulher? - Categoria: Traição/Corno - Votos: 15
15617 - Quantos machos já comeram a sua mulher? (Final) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 14
19953 - João Carlos: enfim corno! (Verídico) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 26
26653 - Acácio, Lidiane e o amigo Carlos - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
29164 - Lembranças! (Relato, não conto.) - Categoria: Gays - Votos: 46
30485 - Eu, minha mulher e meu melhor amigo (verídico) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 45
30976 - Karla confessando a traição para o marido - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
30980 - Minha mulher me traiu e me comeu (bi masculino) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 42
32378 - Você não queria ser corno? - minha mulher falou. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 30
33640 - É hoje (10 de agosto) - real e com bi masculino - Categoria: Traição/Corno - Votos: 20
34357 - Nudismo, naturismo ou hedonismo? - Categoria: Fantasias - Votos: 13
34857 - Corno! – Ela respondeu e me fez sorrir satisfeito - Categoria: Traição/Corno - Votos: 23
37333 - Enfim ela deu para o vizinho! (real) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 26
37804 - Eu não imaginava que viraria corno assim! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 42
39628 - Minha iniciação - Meu primeiro macho - Categoria: Gays - Votos: 29
39629 - Minha iniciação - Meu segundo macho - Categoria: Gays - Votos: 23
39731 - O pintor Felipe e seu pincel - Categoria: Gays - Votos: 31
39976 - O pintor Felipe e seu pincel - com minha mulher - Categoria: Traição/Corno - Votos: 29
40061 - Os bem dotados que me perdoem. - Categoria: Fantasias - Votos: 29
41345 - Somos poliamor, sim! (Bi masculino) 1 de 4 - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 11
41346 - Somos poliamor, sim! (Bi masculino) 2 de 4 - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 14
41348 - Somos poliamor, sim! (Bi masculino) 3 de 4 - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 8
41350 - Somos poliamor, sim! (Bi masculino) 4 de 4 - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 17
41507 - Uma homenagem à Angel (chuva dourada) - Categoria: Heterosexual - Votos: 13
41869 - MINHA NAMORADA TEM UM AMANTE – 1º de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
41870 - MINHA NAMORADA TEM UM AMANTE – 2º de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
41873 - MINHA NAMORADA TEM UM AMANTE – 3º de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
41915 - Minha mulher é uma safada e eu não sabia - Categoria: Traição/Corno - Votos: 27
42145 - Microconto 01 – O que tem de mau em ser corno? - Categoria: Traição/Corno - Votos: 17
42603 - Ele era só hétero – capítulo 1 de 2 - Categoria: Gays - Votos: 49
42604 - Ele era só hétero – capítulo 2 de 2 - Categoria: Gays - Votos: 53
42945 - Por que elas mentem para nós? - Categoria: Traição/Corno - Votos: 29
43354 - Minha esposa, enfim, me fez corno – 1 de 2 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
43355 - Minha esposa, enfim, me fez corno – 2 de 2 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 21
43678 - Clayton, Elisa e eu – Eu e Elisa (hétero) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 16
43817 - Mulher boa é a que te corneia! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 12
44541 - Acabei dando para ele. - Categoria: Gays - Votos: 35
44630 - Ela me traiu com o primo dela. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 18
44934 - Eu e minha mulher fomos comidos (parte 1 de ?) - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 40
45169 - Carmen, enfim, me fez corno. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 22
45852 - Acho que minha sina é ser corno! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 23
45888 - O Bob é feio de rosto, mas... que pica! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 33
46790 - Como vou contar para o meu noivo? - Categoria: Lésbicas - Votos: 16
47007 - A história do Fernando: corno e bi - 1ª parte - Categoria: Traição/Corno - Votos: 24
47008 - A história do Fernando: corno e bi - 2ª parte - Categoria: Gays - Votos: 14
56430 - Ela me traiu e me comeu! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 21
56800 - Eu a incentivei a dar para o primo dela. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 16
58251 - Você queria que eu trepasse com outro homem... - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
58894 - Vestida de noiva ela me traiu! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 17
59620 - Ela deu para o massagista! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 17
61146 - Ela deu para o massagista! – 2 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 19
61397 - Um quase ménage com minha mulher. - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 18

Ficha do conto

Foto Perfil mar & sol
maresol

Nome do conto:
O início de um triângulo amoroso (real)

Codigo do conto:
32512

Categoria:
Lésbicas

Data da Publicação:
20/07/2013

Quant.de Votos:
20

Quant.de Fotos:
1


Online porn video at mobile phone


prima da pra primo conto eroticoQuadrinhos eróticos- enteada sobrinhaConto erotico caseiroQuadradinho eróticoas banda desenhada mãe safadaconto erotico gay valentaoAmadora bumduda torneada nuaIrma coxas contoconto na.minha casa eu minha esposa e um amigo.nossocachorro chupando meu pau contodando pra todos na festa conto erotico gaycontos eroticos viúva velhaquadrinhos eroticos leilaconto erótico de virgem sento estuprada por diretor escolargordinha gostosa contos eroticosbucetaon vermelho molhado escorrendo comporno gatinhaspconto trair na pescariacontos eroticos 2017 de goiasconto erotico em ravidei do meu sogro chupei a filha delecontos eroticos dando fabio vizinhoConto erótico estagiária virgemdecoradora gostosa decha chupa xoxotacontos eróticos fui abusado gay me amarroconto erotico minha mulher com amigo dela de infanciaconto erotico grupal com bebadasdando com dorbuceta pro pai irmaoSexo com Beto Papakucontos eroticos sograsconto erótico brincando no quintalconto erotyco gay o massagista gostosoquadrinhos de sexo anal com netinhascontos gay marinheiro roludouma vez sem camisinha aconteceu acidente contofui penetrada por um jumento num hotel, traição. conto eróticocontos pau enorme na praia de nudismogrelao conto eróticocontos eroticos de gays novinhos afeminados que amam levar pau no cumae contos eroticosConto+coroa necessitada de uma piroconaconto erotico gay dei cu jogar video gamecontos eroticos em quadrinhos meu sogro me arrombou comiscConto Incesto Meu IrmaoConto eroticoExibindo a namorada para os garotosvovo rabudasengravidando a maninha quadrinhobucetas coroassempre quando dancavamos eu passava a mao na bunda delaquadrinho erotico a sogra[email protected],contos com fotos flagrei minha mãe chupando rola do vizinhoContos eroticos vi o'sobrinho da minha mulher comendo seu cu eu quis tambemcontos to com o cuzinho todo arrombado e meu marido nem imaginaconto erotico negao pirocudo na praia de nudismo e o corninho manso e humilhadohentay gibis gayquadrinhos eróticosde travesti comendo o pedreiroconto erotico minha mulher e seu amantecontos de mototaxista e gayquadrinho porno gay em portuguesmeu irmao doente contosmeu sobrinho comeu minha esposabebi virei corno e perdi a dignidade 2minha sogra gostosa foi ate meu quarto de madrugada pornocontos eroticos o caminhoneiro me comeu meu marido nao percebeutia fazendo limpeza na cozinha pelada sobrinho bate punhetaxvideo gay de principe e enprregadocontos gay ubercontos eroticos br fudendo no onibus lotadoComendo aenteada na caçhoeira contos eroticosUltimos contos de zoofiliacontos eroticos gay fui brincar na piscina doce nanda contos eroticossobrinha fode quadrinhoporno gay hq mendigoconto erotico o feioso pauzudocontos reais de esposas safadas fazendo caminhadaconto herotico amigo rabudo lisobeto papakuConto eróticos reais de mulheres que trabalhei no caixa de supermecadocontos eróticos meu primeiro orgasmocontos eróticos pode ficar com raiva, vou te fuder do mesmo jeito