Um executivo no interior - Parte 2



Ele abriu as cortinas e o quarto ficou extremamente claro. A luz do sol refletia nas paredes e nos lençóis brancos. Era possível ver com detalhes cada pedaço do seu corpo. O frio do ar condicionado era aplacado a medida em que ele deitava sobre mim, e me aquecia com o calor de sua pele. Nunca havia sentido nada igual. O aconchego do colchão macio e dos lençóis sedosos oferecia todo o conforto que eu precisava para receber aquele corpo pesado e másculo sobre o meu. Ele colocou uma de suas pernas entre as minhas, de modo que sua coxa fazia uma leve pressão em minha bunda. Dessa forma, meu pau já úmido melava seu abdômen enquanto ele me beijava. Que beijo perfeito! Nossas bocas simplesmente sabiam como se mover, e nossas línguas dançavam juntas. Meus mamilos ficaram sensíveis por causa do frio, e assim que ele percebeu, começou a massagear muito levemente o meu mamilo direito apenas com a ponta do indicador esquerdo. Aquilo me causou um arrepio na espinha. O estímulo aumentou quando ele colocou a ponta do mesmo dedo em minha boca, e voltou a estimular meu mamilo com o dedo lubrificado em minha própria saliva. Eu queria mudar de posição. O estímulo era muito intenso, e eu também queria estimular o seu corpo de alguma forma, mas ele me prendeu sob si, sussurrou "calma" no meu ouvido, e desceu a boca, lambendo meu pescoço bem de leve. Outro arrepio! Murilo parecia muito competente. Sua tranquilidade me fazia acreditar que ele era muito experiente, ao contrário de mim. Apesar de me dominar sutilmente, sua delicadeza me transmitia a confiança de que eu precisava para ficar completamente entregue. Eu não precisava fingir nada, não precisava fingir ser mais macho para impressionar ninguém. Havia um homem grande, musculoso e másculo em cima de mim, e eu me sentia ainda mais macho por conta disso. O imenso espelho no teto me permitia apreciar as divisões entre os músculos de suas costas, e as curvas de sua bunda carnuda. A testosterona impregnava a atmosfera do quarto, assim como o cheiro de sexo liberado por nossos corpos. Eu estava adorando tudo aquilo! Agora ele deslizava para baixo, apenas as pontas dos fios de sua barba, há três dias por fazer, levemente roçavam a minha pele. Ele explorava o meu umbigo com a ponta da língua lubrificada, sempre com movimentos suaves e lentos. A sensação da saliva viscosa no meu umbigo começou a despertar uma reação nova para mim: meu pau nunca esteve tão inchado e rígido, pois acho que nunca senti tanto tesão antes, e ao mesmo tempo em que minha rôla pulsava eu começava a ter consciência de que a região anal respondia. Não lembro de já ter sentido isso. Sem receber nenhum toque, apenas a pulsação da minha pica já era o suficiente para causar uma reação gostosa no meu cu. Acho que a região estava tão bem irrigada, e os vasos sanguíneos tão preenchidos, que os nervos daquela região ficaram extremamente sensíveis. Murilo desceu ainda mais, e passou a chupar o meu pau sem ter deslizado o prepúcio para baixo. Era simplesmente uma massagem na minha chapeleta ainda coberta pela pele. Enquanto usava magistralmente lábios e língua para excitar a minha glande ainda mais, ele deixou, talvez sem querer, uma gota de saliva escorrer pelo meu saco até chegar na porta do meu rabo. Gemi alto involuntariamente!

- Adoro te ouvir assim!

Ele sorria, como quem acaba de ganhar um prêmio. Voltou a se ocupar do meu pau, deslizando o prepúcio para baixo com a mão, e lambendo minha caceta de baixo para cima. Quando percebeu que minha lubrificação natural se intensificou, passou a massagear minhas bolas vigorosamente com a língua. Outra sensação nova! Minhas mãos já amassavam os lençóis enquanto meus músculos se contorciam. De repente, sem nenhum aviso, Murilo deslizou a língua mais para baixo, e encaixou a ponta da língua entre as minhas nádegas tocando o meu cu. A cada movimento que sua língua fazia, eu respondia com um gemido involuntário que eu não conseguia conter. Se durante as minhas punhetas secretas eu praticamente não respirava, para não deixar ninguém perceber o que eu fazia, agora o Murilo arrancava de mim sons que eu jamais havia emitido. Aquilo era o paraíso!

- Que cu gostoso! Vermelhinho, liso, e com cheiro de homem!

Os elogios do Murilo, me excitavam ainda mais, se é que era possível. Percebendo o quanto eu estava gostando, ele ergueu os meus pés, deixando minha nádegas mais distantes, e intensificou as lambidas, e deixando a barba roçar levemente em toda a região. Tentei pegar no pau para me masturbar, mas ele não permitiu.

- Hoje é minha função te fazer gozar!

Engoliu o meu pau inteiro segurando minhas bolas, e fazendo uma certa pressão sobre elas. Chupou como se fosse necessário para sobreviver. Eu já não conseguia manter os olhos abertos de tanto tesão. Murilo pegou um travesseiro, colocou sob minha lombar, voltou a erguer meus pés, e encaixou a cabeça da piroca em meu cu. Me assustei com a rapidez de seus movimentos, mas gostei da surpresa.

- Fique tranquilo, tenho certeza que você vai gostar da minha rôla tanto quanto gostei da sua! Vou ficar parado aqui, só com a cabecinha plugada em seu cuzinho. Quando quiser mais, é só pedir!

- Eu já quero mais!

- Então toma, meu puto! Recebe essa jeba grossa!

Ele começou a deslizar devagar, observando o tempo todo o seu pau afastar minhas pregas e me preencher o rabo.

- Pede!

- Me fode, seu puto gostoso!

Murilo enfiava todo o pau, e mesmo quando já estava todo dentro forçava ainda mais, como se houvesse um ponto dentro de mim que ele queria alcançar com a cabeça da pica. Quando ele fazia isso, eu sentia suas bolas volumosas contra a minha pele, o que dava um toque especial à nossa foda. O vai e vem foi se intensificando, e agora ambos gemiamos. Murilo se curvou um pouco, e ainda engatado em mim, engoliu a cabeça do meu pau. Chupou um pouco, e voltou a foder com vigor. Eu só sentia prazer! Ele acelerou os movimentos, e sua respiração ficou mais intensa. Ele gemia alto.

- Vou gozar!

- Goza! Goza dentro de mim que também estou perto!

Murilo começou a esporrar em meu cu, mas não parou de socar com força! Eu já me sentia lambuzado no rabo quando os músculos das minhas coxas se contraíram, meu pau pulsou mais forte, e eu lancei o jato de porra mais intenso de toda a minha vida! Minha porra saía em jatos grossos e fortes, e eu percebia que gala estava ainda mais espessa do que de costume. Quando parei de jatear o meu próprio abdômen, Murilo deitou seu tronco sobre o meu, sem tirar o pau de mim. Ficamos assim, grudados com nosso leite de macho entre nossos corpos, por alguns instantes e fomos tomar um banho.

Enquanto tomávamos banho o meu telefone tocou. Reconheci pelo toque que era o meu tio. Provavelmente ele queria saber se havíamos chegado bem à fazenda, ou fazer alguma recomendação sobre o meu primeiro relatório. Mas, isso ficaria para depois. Agora eu só queria continuar meu banho cheio de espuma, acariciando o Murilo, e beijando aquela boca gostosa!

Obrigado a todos que me adicionaram como amigo e me enviaram mensagens. Estou respondendo a todos na medida que o tempo permite! A parte mais gratificante de dividir minhas histórias com vocês é quando obtenho suas respostas. Obrigado a todos que leram e demonstraram interesse na continuação da história. Se quiserem ler mais, por favor,me digam o que acharam nos comentários e votem no conto!


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.





Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


76546 - Rolão Inesquecível - Categoria: Gays - Votos: 15
76547 - Estranho do Metrô - Categoria: Gays - Votos: 11
91456 - Um executivo no interior - Categoria: Gays - Votos: 28
126400 - Um executivo no interior - Parte 3 - Categoria: Gays - Votos: 4

Ficha do conto

Foto Perfil w.
contadordehistoria

Nome do conto:
Um executivo no interior - Parte 2

Codigo do conto:
91848

Categoria:
Gays

Data da Publicação:
12/11/2016

Quant.de Votos:
3

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


contos eriticos putinha da academiapequena safada da bucetinha doce contossou putinha do papai e do irmao contosConto porno meu marido me apresentou seu amigo do pau grandecontos de ensesto de novinhas evangelicasminha cunha espero meu irmão sai e mim mandou ajudar a ela a apertar o sutiã e eu a cumei sexoconto garotinha metendoFui comida igual a uma puta contocontos eroticos esposa obrigada a fuder com agiotaconto erotico gay no lugar erradoultimos contos sado professora submissa 28contos eroticos de noiva na despedida de solteira agarrada a forcaContos erotico Dominador possessivo contos eróticocontos erótico minha cunhada e minha sogra pelo minha p***rola dura do negaocontos gay encoxadoContos gay pau pequenoconto gay irmaos gemendo no pirocao do irmao c fotocontos de incesto mae e o filho enfermeirocontos eroticos bucetinacontos sou casada dei pra um anao pirocudoincesto 10contos eroticos zoofilia cao super bravosxxx animados homem xomendo a cocota da viralata.na rua zoofiliaconto erotico perdeu aposta no jogo e teve que chupar um pal e dar o cuzinhover quadrinhos d chefes pauzudosporno a minha mulher torme o fisinho come ela cuzuda dois pau nela na bucetaquero assistir um vídeo pornô mulher casada toma todo o leite o motorista do Ubercontos.gozei como louca na pica do meu filhoturistas conto eróticocontos eroticos minhas filhinhas e as filhimhas da vizinhavivo na roça c. eroticoconto erotico arronbaro minha mae no churrascoConto Erotico Com Pai Vivendo So Fode A Filha Cassula Que Vai Passa Feriacontos fodi a minha avoconto de encesto sou filho único mamae e casadaConto erotico caatingaporno gay brocado de cabacocontos eroticos dando a buceta pro primocontos meu neto pirocudocontos eroticos objeto no cucontos eróticos de incestos de mãe amante do filho 2017Conto erotico com fotos de podolatria cheirando e chupando pes de primas embaixo da mesadou a buceta pro meu filho conto eroticocontos de filhos e mães pelados na praia de nudismohomem casado dando cu praguei dapica grandexvidios o pedrerocomtus eroticu filha enocente sentou no colu de seu paiContos enfiano coiza grossa no cuconto erótico meu marido ê minha femia e meu veadoconto erótico novinha na praiacontos sexo anal concunhado concunhadacontos cornos 2017conto erotico oferenda ver historia erotica corno levano mulher cinema pornoblog lindas sexcontos de grelos enormes gozando encaixadinhos num sabao gostosoconto erotico viciei da a bunda gay na encolhaLiga da justiça porno gaychefe chantagem grita dor conto eróticoGosto de dedo lambuzado bimae fode com filho contos eroticosvelhos trazando com a neta no matoconto erótico castigoeu e a evangelica casada da minha esposa conto eroticoconto erotico novinho viadocontos bebi tamto que nao sei quem me arrombopeso conto heteroConto erotico de maesinha gostosa de camisolinha transparenteporno nora bate punheta pro sogro de baixo da mesaminha mãe filmou meu pai me comendocontos eroticos voyeur e exibicionistamenina com tezao da sonifero pro irmao e fode gostosocont erot mandei pode minha filhacontos eróticos gay Dei.Minha Bunda Pro.Amigo Do.Meu Filhoquando fiquei sozinha contos erticos Contos erpticos menininha de ruaconto erotico eu era novinha doeu muito quando entroumenino me fez gozar varias vezes conto eroticocontos hetero caçando gaycontos sexo peguei minha cunhada sobrinha me espiandocoto erodico de como pater puetaquiquei até gozarconto erotico comi o cu da amiga de minha maevelhos gordos gays contoscontos eróticos quadrinhoscontos gozei gostoso dando o cu